Novidades

- 09.01.2018

Uma seleção de músicas que fazem aniversário em 2018

Reviva grandes momentos da música nacional e internacional no nosso canal do Spotify

Imprimir esta novidade
Compartilhar esta novidade

Não é só nos finais de ano que retrospectivas são bem-vindas. O ano de 2018 marca o aniversário de grandes obras da música.

Neste ano, certamente não faltarão homenagens aos 50 anos da Tropicália de Caetano e dos Mutantes, aos 50 anos do The White Album (O Álbum Branco) dos Beatles, considerado um dos melhores álbuns de todos os tempos, aos 30 anos de Ideologia do Cazuza, aos 20 de Siderado, um dos mais bem sucedidos álbuns do Skank, aos 40 de Grease: Nos Tempos da Brilhantina, entre outros.

Década de 60

Em 1968, se tínhamos os Beatles se encaminhando para o fim de atividades, também testemunhávamos os Rolling Stones retornando às origens roqueiras após um psicodélico experimento e lançando um de seus maiores sucessos como single, Jumpin’ Jack Flash, sem contar o álbum Beggars Banquet que trazia as clássicas Sympathy for the Devil e Street Fighting Man. No quesito rock and roll, também tivemos lançamentos importantes como Electric Ladyland de Jimi Hendrix, primeiro álbum do lendário guitarrista a alcançar o número da parada norte-americana.

Aos amantes da soul music, 1968 também rendeu sucessos como Chain of Fools da Aretha Franklin, lançado no álbum Lady Soul que coroou a cantora de 75 como a Rainha da Soul, I heard it through the Grapevine de Marvin Gaye e (Sittin’ On) The Dock of the Bay de Otis Redding, gravada pouco tempo antes de sua morte em um acidente aéreo aos 26 anos.

No Brasil, ouvíamos a estreia solo de Caetano Veloso com o homônimo álbum que trazia canções como Alegria, Alegria, Soy Loco Por Ti America e Tropicália. Aliás, Tropicália ou Panis et Circenses dá título a uma obra lançada como manifesto por Caetano, Gal Costa, Gilberto Gil, Os Mutantes, Nara Leão e Tom Zé. A renomada Rolling Stone Brasil elegeu o álbum como segundo mais importante da história da música nacional.

Década de 70

Dez anos depois, Rita Lee – já em carreira solo e com cinco discos lançados – apresentava Babilônia, último registro feito ao lado da banda Tutti-Frutti, que a acompanhou desde a saída dos Mutantes. Jorge Bem Jor também emplacava há 40 anos um de seus maiores hits, A Banda do Zé Pretinho, assim como Bob Marley em Is this Love do álbum Kaya e Elton John com a instrumental Song for Guy. E para continuarmos com as teclas, a deliciosa Don’t Stop Me Now do Queen lançada em 1978 no álbum Jazz.

Década de 80

Saltamos para o fim dos anos 1980, com lançamentos importantes de nomes queridos e carimbados do rock nacional como Cazuza, Barão Vermelho, Os Paralamas e Ira!. A banda paulistana liderada por Nasi e Edgar Scandurra lançava Psicoacústica, álbum que ganhou status de cult pela crítica brasileira. O Barão Vermelho ainda tentava se encontrar após a saída de Cazuza e o fracasso comercial de dois álbuns sem o carismático vocalista original. Felizmente, Pense e Dance caiu na trilha de uma novela da Rede Globo e a banda voltou a acontecer. Falando em Cazuza, mais um grande álbum do saudoso poeta, Ideologia, seu terceiro álbum solo. Os Paralamas lançavam um álbum com dois lados bem distintos. Bora Bora era festivo em seu lado A e reservava melancolia pura no lado B com composições que refletiam o fim do romance entre Herbert Vianna e Paula Toller.

Internacionalmente, a cena pop de 1988 reservava sucessos de nomes como Pet Shop Boys, Erasure, A-Ha, Roxette, U2, Bon Jovi, Morrissey, New Order, além da estreia da superbanda formada por Bob Dylan, George Harrison, Roy Orbison, Tom Petty e Jeff Lynne, os Traveling Wilburys. Trilha de Reunião dançante era garantida…

Década de 90

Em 1998, não havia mais a cultura festiva das festinhas em casa. A MTV pautava muito do que se ouvia na época e determinava o que era sucesso através de suas paradas de vídeo. Já não se sabia o que vinha antes, o sucesso na rádio ou na TV. Bons exemplos disto são Ray of Light da Madonna, Intergalactic dos Beastie Boys, Fly Away do Lenny Kravitz, November Rain do Guns n’ Roses e The Rockafeller Skank do Fatboy Slim.

Ouça aqui

Por aqui, temos Dinho Ouro Preto voltando ao Capital Inicial após experimentar uma carreira solo sem muito êxito; o Skank com seu quarto álbum lançado e mais de 700 mil cópias vendidas; o Cidade Negra com Quanto Mais Curtido Melhor colocando o reggae de vez nas rádios do Brasil inteiro.

Anos 2000

Virado o milênio, em 2008, também temos canções e artistas que conquistaram terreno em um cenário novo de consumo, o terreno das mídias sociais. Adele estreia no mundo fonográfico com 19, sem imaginar no que se tornaria 10 anos depois, o R.E.M. beirava sua despedida no penúltimo álbum Accelerate, os Kooks tinham a árdua missão de emplacar o mesmo sucesso em sua estreia, Jason Mraz desembarcava no Brasil com seu terceiro álbum capitaneado pelo hit I’m Yours, os Kings of Leon alcançavam o estrelato mundial com Only By the Night com mais de 6 milhões de álbuns vendidos no mundo inteiro, o Oasis lançando seu último álbum antes da briga dos irmãos Gallagher, e, claro, o Coldplay com seu Viva la Vida ou Death and All His Friends, álbum que também colocou a banda britânica em outro patamar de entretenimento.

Como percebe-se, 2018 é um ano para celebrar os mais diferentes estilos. Um ano para você colar em nosso canal no Spotify e curtir nossas playlists especiais. Viva la Vida! Viva 2018!

Revista de Ofertas

Confira as principais ofertas
da rede Zaffari & Bourbon.

Endereços e horários:

Selecione um de nossos empreendimentos para conferir o endereço e os horários de funcionamento.

 

Trabalhe Conosco

Cadastre-se em nosso site.

© 2018 Grupo Zaffari. Todos os Direitos Reservados | Política de Privacidade
Grupo Zaffari